segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Lua

{...}Mas da Lua ela não tinha receio porque era mais lunar que solar e via de olhos bem abertos nas madrugadas tão escuras a Lua sinistra no céu. Então ela se banhava toda nos raios lunares, assim como havia os que tomavam banhos de sol. E ficava profundamente límpida.


Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres

Um comentário:

Pensador Poético disse...

Olá Clarice ...como vc solicitou ..eu estou aqui visitando e contemplando o seu lindo blogger e mais ainda serei acompanhante rs...
obrigado e sobre este poema " Lua" me passou uma pureza natural ...adoro poemas assim...!!!
Boa noite e Bom dia...
do Caio Vinicius " Pensador Poético " beijossss e até mais...boa semana !!!
e Parabéns !