quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Prazer

Quem se recusa o prazer, quem se faz de monge, em qualquer sentido, é porque tem uma capacidade enorme para o prazer, uma capacidade perigosa - daí o temor maior ainda. Só quem guarda as armas a chave é quem receia atirar sobre todos.

Perto do Coração Selvagem

Um comentário:

Blog Cecília Meireles disse...

Lindo blog!
Viciei.