sábado, 6 de março de 2010

Morrer de Amor

{...} Eles pareciam saber que quando o amor era grande demais e quando um não podia viver sem o outro, esse amor não era mais aplicável: nem a pessoa amada tinha capacidade de receber tanto. Lóri estava perplexa ao notar que mesmo no amor tinha-se que ter bom senso e senso de medida. Por um instante, como se tivessem combinado, ele beijou sua mão, humanizando-se. Pois havia o perigo de, por assim dizer, morrer de amor.

Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres

3 comentários:

Meire disse...

Lindo isso...palavras que parecem até sair de nós mesmos...incrível...!
bjs

Talita Prates disse...

Parabéns pelo blog!
Estou seguindo.

Bjo,

Talita
História da minha alma

Grasi disse...

Lindas palavras, a simplicidade com que ela usa as palavras.Parabéns!